terça-feira, 30 de novembro de 2010

Crack me.

You give me the fear. Falando como um simplório experiente que obviamente preferiria ser um efeminado, infantil e chorão. Este bilhete deve ser fácil de entender.O que fazer quando não se tem mais nada a fazer? Toda essa empatia se esgota, o gosto que as coisas vão perdendo é extremamente frustrante. Nada está mantido como iniciou, tudo se vai, se perde, desintegra-se. Todas as advertências dadas nas aulas de punk rock ao longo dos anos, desde minha primeira introdução a, digamos assim, ética envolvendo independência e o abraçar de sua comunidade, provaram ser verdadeiras.

I can't trust, I really want, I just can't. Apenas porque parece muito fácil se relacionar e ter empatia. Você mente quando olha e diz que é assim, eu olho e tento acreditar, mas minha mente não consegue me trapacear, porcaria. Como nós faremos? Eu ficarei aqui? I just wish I could feel that for real.

No more anything.

2 comentários:

  1. "I just wish I could feel that for real"

    adorei *-*
    seguindo, se não se importar (:

    ResponderExcluir
  2. Gosto dos seus textos. Parabéns!

    ResponderExcluir