domingo, 4 de dezembro de 2011

Tudo mudou

Vou tentar falar de outras coisas, tá ok? Vou tentar me calar e ouvir, tá ok? Vou tentar sentar e fingir prestar atenção no que eles dizem, tá ok? Vou tentar, eu vou tentar e tentar e você não vai saber e nem de longe vai pode sonhar sobre isso. Modularei tudo que está aqui dentro de mim pra ver se consigo satisfazer o que você procura, porque parece tanto que é disso que eu preciso, sua satisfação.

É, tá bom, eu sei, é um tanto complexo tentar agradar tanto. O segredo, entretanto, eu acredito, não é agradar, mas pelo menos demonstrar que foi essa a intenção. O melhor agrado é a intenção. Ando vendo meus cabelos caindo, meu corpo se perdendo em pequenos pontos e de certa forma isso é apavorante. Por que motivos é que nós envelhecemos? Eu deveria aceitar como um fardo da nossa biologia e caminhar, mas não dá pra simplesmente acreditar que o futuro é melhor se tudo o que eu faço é olhar pra trás. O futuro só me dá medo.


"Como uma árvore cortada"

Eu envelheci demais tentando te agradar? Ou pra justamente te agradar eu tive que envelhecer? Não sei onde foi parar a minha cabeça há anos. Mas sinto que tenho tomado cada vez mais esse líquido precioso que vocês gostam de chamar de consciência. E ele faz mal. Bem que não sei aonde quero ancorar, verdade é que prefiro não ancorar deixa o vento levar esse barco velho, quem sabe o desabe, desmonte e nós nos perdemos num dia quente ensolarado e salgado qualquer.

Não quero que sejamos nada além de nós mesmos. Não quero que você me conte nada além do que realmente mora dentro de você. Não quero que você mude. Eu não quero conhecer sua outra forma. Não quero que nada mude. Sinto muito. Tudo mudou. De novo e de novo e mais uma vez. Oh não.

Um comentário:

  1. Boa tarde.
    Desculpe a intromissão, mas venho hoje divulgar meu projeto paralelo de resenhas literárias, sob o título de O Leitor.
    Se puder participar, agradecemos desde já.
    Obrigada pela atenção.
    Pamela

    ResponderExcluir